No passado domingo, 20 de junho, José Neves foi coroado como novo campeão português de estrada, vestindo a ambicionada camisola vermelha e verde no pódio de Castelo Branco. Foi uma vitória especial. O ciclista de Évora enfrentou alguns dos maiores nomes do ciclismo, sendo este o seu primeiro título nacional, e o nosso primeiro título de elite de estrada também. A Racevox Neves escreveu uma página notável no livro de história da SwiftCarbon.

Com a partida/chegada em Castelo Branco, o título foi decidido num percurso de 192 km - um loop de 84 km para o norte, seguido de quatro voltas mais apertadas de 22 km. Tal como deve ser um campeonato nacional, esta foi uma prova dura tanto pelo terreno como pela competição. Neves defrontou alguns dos melhores ciclistas, entre eles Rui Oliveira da equipa UAE-Team Emirates (segundo classificado), Nelson Oliveira da equipa Movistar e João Almeida Deceuninck - Quick Step.

A equipa de Neves, a W52-FC Porto, atacou a prova desde o início obrigando o pelotão a dividir-se em vários grupos. Houve tentativas de fuga que se mantiveram, em grande parte, com rédea curta, graças aos esforços da equipa portuguesa. Embora a impiedade do ritmo tenha influenciado a corrida desde o início, o impacto real foi sentido nas últimas quatro voltas do circuito.

Ao tocar do sino que indicava a volta final, formou-se um grupo de 15 ciclistas. Na parte mais difícil do circuito, o jovem de 25 anos atacou, ganhando rapidamente um minuto de vantagem - o movimento que define a corrida. O sonho de qualquer ciclista é vencer uma grande corrida como esta, mas o facto de cruzar a linha de meta isolado torna o triunfo ainda mais especial, dando tempo para comemorar e saborear o maior momento da carreira de José Neves no ciclismo.

No rescaldo da prova, Neves referiu: "A sensação é de orgulho e dever cumprido. É um dos meus objetivos para este ano, fazer pódio no contrarrelógio [foi terceiro] e na prova de fundo. Ser campeão nacional de elites é bastante bom e espero mais títulos nacionais. Para já, vai ser um orgulho levar a camisola durante um ano.”

Os restantes membros chegaram 47 segundos depois, com Rui Oliveira (UAE Team Emirates) e Gaspar Gonçalves (Tavfer - Measindot - Mortágua) a fechar o pódio final. “A corrida foi dura. Na parte inicial havia uma subida onde se podiam fazer diferenças. Tentei estar sempre na frente, num momento vi os adversários um pouco em baixo e tentei a minha sorte. Consegui. Arranquei a uma volta do fim, na parte mais dura do circuito, e consegui fazer diferença e manter."

Tão perfeito quanto havia cronometrado o seu ataque, Neves planeou a sua ascensão para se formar perfeitamente, liderando a corrida, com uma medalha de bronze conquistada no TT individual, alguns dias antes. A equipa W52-FC Porto festejou com ele, recuperando a camisola que há vários anos lhes escapava. Para a SwiftCarbon, é uma vitória muito importante e especial, que terá um lugar de destaque na nossa parede.